sábado, 24 de dezembro de 2011

Dilma e Papai Noel

Em clima natalino, a presidente Dilma conversa com o Bom Velhinho (clica na imagem para ver maior).
É humor para toda a família. Espero que gostem (levem na esportiva, petistas). Feliz Natal para todos !

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Qual Yoshi ? Verde, azul, amarelo ou vermelho ?

Como é sabido por todos, Mario, o terror das tartarugas, é provavelmente o personagem mais famoso do mundo dos games, sendo improvável de existir no futuro alguém que o alcance. Entretanto, depois de algumas versões do jogo, ele ganhou um fiel ajudante, que de certo modo dividiu com ele a fama, o Yoshi. A primeira aparição do dinossauro ocorre em Super Mario World, e claro, não foi um mero personagem a mais !
(Montagem doida que eu fiz)

Na verdade, ele se tornou uma "parte" da imagem do Mario. Ou seja, a imagem acústica "Mario" (isso que dá estudar linguística), faz na maioria das vezes, o nosso cérebro pensar no desenho que está na famosa fita do jogo (abaixo). É, essa mesmo ! O Mario com sua capa voadora, num gesto do tipo "avante, Yoshi !". Aliás, esse dinossaurinho é tão importante, que poderíamos até ter o jogo com o nome "Mario and Yoshi". (Poderia, mas nunca existiu... só na mente desse blogueiro!)
(Imagem marcante do jogo)

O Yoshi verde é o mais famoso e versátil. Já que ele pode adquirir qualquer poder, assim: com a posse do casco azul, ele voa; com o amarelo, a pisada dele fica mais forte; com o vermelho, lança bolas de fogo; com o verde, não acontece nada, ele apenas joga o casco (ah, mas vai tomar um teco desse... é fatal !). Com essa versatilidade, causa até inveja ao Shang Tsung do Mortal Kombat (que comparação sem noção ! tsc tsc). Mas aí, prossigamos !
(Não sei quem é o autor dessa arte, mas como vocês podem ver, são quatro cascos de tartatugas más )

Dos poderes que foram citados acima, o que eu acho mais útil é o de voo (azul). Os Yoshis têm exatamente os mesmos poderes dos cascos, exemplo: o Yoshi azul sempre voa com qualquer casco (é como se todos os cascos fossem azuis pra ele). Então, fica clara a minha resposta à pergunta "qual Yoshi ?". Ou seja, o melhor pra jogar é o azul (pelo menos na minha opinião). Já o mais sem graça é o vermelho, a sua especialidade não é tão boa como a dos demais (além de ter as cores do Flamengo ! Arghhh).  

E tu, qual é a tua opinião ? 
O melhor Yoshi ééé.... ?

Aí, tu é fã do Yoshi, né ? Ele carismático e tal...
(Valeu, Yoshi ! Mas o jogo tem que continuar!)

Antes ele do que eu ! (quem nunca fez? hehe)
Fui !

sábado, 26 de novembro de 2011

Todo "dulce de maní" é paçoca ?

Dulce, como vocês já devem ter percebido, é "doce", na tradução do espanhol para o português. Já Maní, em grande parte da América do Sul, significa "amendoim". Então, temos aqui um doce de amendoim. Ou mais precisamente, a famosa paçoca !"Dulce de maní", com frequência aparece nas embalagens de paçoca, seguindo uma tendência da indústria brasileira: trocar produtos com os nossos "vecinos" (Argentina, Paraguai, Uruguai e por aí vai).

Tudo bem, isso é maneiro e tal, massssss (aí vem a polêmica !), o que é um doce de amendoim afinal ? , vamos supor que um cara foi na dentista e botou uma "massinha" no dente. Vejamos o suposto diálogo:

- Está listo (pronto). Pero no comas nada que sea demasiado sólido - Diz a dentista.
- ¿Yo puedo comer dulce de maní?
- Sí, no hay problema.


Aí eu pergunto: e se for um pé de moleque !? É... acho que o dente do hermano não vai ficar muito bom, não...
É normal que isso aconteça, pois todo idioma possui riquezas e... pobrezas ! Por exemplo, "sabonete" não tem uma tradução precisa para o espanhol. Já que o vocábulo jabón pode ser "sabão" ou "sabonete". Entretanto, como eu já havia dito, todos idiomas têm seus pontos fortes e fracos, portanto, o nosso português também não é o bambambã das línguas.

Pergunto pra vocês: qual é a tradução de shampoo ? Eu tento: "sabonete líquido capilar". Nada convincente, ? Mas aí que tá ! Isso é uma das principais pistas de "pobreza verbal" (de faltar palavras precisas), o uso de vários vocábulos para substituir uma única palavra ou o uso de expressões metafóricas, como a catacrese batata da perna (panturrilha), e claro, há vários outros exemplos! Mas, para dulce de maní, haveria outro "agravante": a palavra é muito vaga...

Há também o fato de esses doces (pé de moleque e paçoca) serem típicos do Brasil, por isso dá pra entender essa dificuldade na tradução. Aí eu até pensei em algumas alternativas como "pazoca", seria uma espanholização , trocado o cê cedilha (não existente no espanhol) pelo "z", zeta (assim como acontece com azúcar). Já pé de moquele, em tradução livre, poderia ser "pié de chico" ou "pié de muchacho". Mas são apenas sugestões, claro ! hehe

Acho que já está de bom tamanho, é isso ! Então, quando comprarem dulce de maní, espero que se lembrem dessa postagem. Ah, e lembrando: a paçoca é nossa, é do Brasil ! Bra sil sil sil !

domingo, 6 de novembro de 2011

A origem de "olé" e "ola" no futebol

Eis mais um texto da nossa seção Etimologia! Bem, e como vocês sabem, aqui, eu faço comentários sobre a origem de alguma palavra. A última, foi "poleiro", que à primeira vista não parecia fazer sentido. Entretanto, depois que descobrimos que no nosso português mais antigo havia o vocábulo polo (com timbre fechado, não tem nada a ver com Pólo Sul ou Pólo Norte, hein!), as coisas ficaram mais fáceis: polo  = frango.
(DVD do desenho "A Vaca e o Frango", na sua versão em espanhol da Espanha.)

O morfema -eiro sempre possui relação com o seu radical (como todos os morfemas), exemplos: galinheiro e galinha; poleiro e polo; frangueiro e frango. (Então... ihhhh! Polo e frango são sinônimos, mas com o morfema -eiro, tornam-se palavras com significados totalmente diferentes!)

Então, como vocês sabem, "frangueiro" no futebol é o goleiro que levou um gol bobo. O frango, aquele mesmo, que é engraçadão quando ocorre com o rival, mas quando é com o time que nós torcemos... a gente fica boladão! Ó, mas já que estamos falando de futebol, é melhor que encerremos logo essa história de "poleiro" e que nos concentremos de vez em falar sobre o esporte mais popular do mundo. Pois falar de futebol será importante para o objetivo desta postagem: falar da origem de olé e ola. Então, para mais informações, liguem para o número dos desenhos animados 5555-5555 (falar com o Frangolino) ou cliquem aqui: A origem de "Poleiro"

Meu caro leitor e minha cara leitora, se você chegou até aqui, meus parabéns! Talvez tu tenha caído aqui via pesquisa no glorioso Google, digitando as palavras-chave do título desta postagem (ou não) e... tcharã ! (onomatopéia daquela musiquinha legal). Apareceu este belo blog aqui... Mas aí, não perde a paciência, não ! Continua lendo, falou?(Bola da bandeira mexicana, uma águia faminta devora a serpente!)

Mas agora, sim! Finalmente! Vamos falar da etimologia da palavra olé. Bem, essa interjeição vem do espanhol. É... isso parece ser bem óbvio, ? Já que a palavra também nos faz lembrar das touradas e alguns outros esteriótipos hispânicos. Mas aí, há uma história sobre olé (não falando de jornal argentino, não, hein!) que explica a sua "emigração" do espanhol para o português.

No final da década de 50, o super-hiper-ultra-mega timaço do Botafogo foi participar de um torneio no México. O Fogão era "apenas" a base da seleção brasileira campeã do mundo e, num jogo contra o famoso clube argentino River Plate, aconteceu... pobres hermanos! Aí a torcida méxicana gostou do espetáculo do Glorioso e começou a gritar oléééé (em espanhol se pronuncia olê.) Os dribles do Garrincha eram sem iguais! (nem preciso falar mais nada, você com certeza já viu os vídeos dele) O adversário "passava igual uma vaca" (donde será que veio essa expressão? Olé era só para touros hehe)
La ola também veio do espanhol, e a tradução é "a onda". Na Copa do Mundo de 1986, realizada no México (olha ele aí de novo) a ola deu um hola para o mundo e daí se popularizou em vários países, inclusive aqui. A ola foi um grande marco da Copa de 86. Assim como a vuvuzela foi um marco à Copa de 2010, na África do Sul. Por falar nisso, é bem provável que haja a palavra vuvuzela nos próximos dicionários, sendo o sinônimo de "corneta" (assim como ocorreu com ola e olé, a língua é viva!) É incrível como o futebol e os estrangeirismos podem mudar o nosso idioma, ? É show de bola isso!

Então, é isso, as "irmãs" olé e ola são estrangeirismos espanhóis, que vieram para enriquecer o nosso vocubulário futebolístico no português, dando um "tempero" a mais nos nossos estádios e na torcida pelo nosso time do coração.

iHasta la próxima!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

El Tiempo, o jornal mais importante da Colômbia

O jornal colombiano de maior circulação é o El Tiempo, sua sede fica na capital colombiana Bogotá e sua distribuição atinge toda a Colômbia. O jornal é centenário, foi fundado em 30 de janeiro de 1911. Sua versão online é um sucesso assim como a versão em papel e o seu portal na internet é o mais acessado pelos internautas colombianos.

El Tiempo é um dos onze jornais independentes e mais influentes na América Latina, filiados ao Grupo de Diários América. Este grupo, que foi criado em 1991, ajuda a promover um intercâmbio de conteúdos entre os jornais latino americanos. Jornais como O Globo (Brasil) e La Nación (Argentina) também são associados ao GDA.

Além do jornal, há também as tevês: Citytv que é aberta (só na capital) e de programação variada; e a ET Canal El Tiempo*, a cabo e de notícias.
* No começo eu cheguei a pensar em "ETs", mas é a claro que não era isso ! "ET" é a sigla de El Tiempo hehe

Acima, a tragédia que aconteceu com o Fogão no estádio El Campín ( 4 a 1 pro Santa Fé !), esse tal de Rodas jogou muito ontem.

Bem, podemos concluir que é impossível falar da mídia da Colômbia sem citar o El Tiempo. Eles têm o site colombiano de maior sucesso. É claro, tirando os "Googles", "Youtubes", "Facebooks" da vida... que nem colombianos são !

i Hasta la vista !


Sites consultados:

http://es.wikipedia.org/wiki/El_Tiempo_%28Colombia%29
http://www.alexa.com/topsites/countries/CO

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/03/19/a-atuacao-do-grupo-de-diarios-america-916122619.asp
http://es.wikipedia.org/wiki/ET_Canal_El_Tiempo

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Futebol colombiano

Fiz este texto por causa de uma matéria que tenho na faculdade, chamada Tópicos Gerais da Língua Espanhola. O material servirá para eu fazer um Seminário sobre a Colômbia. Procurei fazer um texto simples e rico. Chequei alguns dados na nossa gloriosa Wikipédia, sobretudo os números, que foram citados no texto. Ah, e também não sabia o apelido da seleção colombiana ! Bem, mas alguém pode me perguntar: "Ué, mas não tu não tinha um país mais famoso pra escolher, não ?". Havia outros países, sim, porém os mais "famosos" Argentina, México etc., já tinham dono. Mas houve um fator decisivo à escolha: jogava Super Star Soccer com a Colômbia, Alvarez era o jogador mais rápido do jogo ! Aí, isso que é critério, ? (hahaha)
(Imagem de "eltiempo.com")

Na Colômbia, assim como na maioria dos países da América Latina, o futebol é esporte mais popular, é o preferido, entre os seus mais de 45 milhões de habitantes. Sua seleção de futebol tem o uniforme composto por camisa amarela, calções azuis e meias vermelhas. Os “hinchas” colombianos chamam sua equipe carinhosamente de “Los cafeteros”. Qualquer semelhança com o café não é mera coincidência ! Já que o café é a bebida mais importante deste país sul-americano. A Colômbia é um dos maiores produtores de café no mundo e exportá-lo é uma de suas principais atividades econômicas.

O título mais importante da seleção “cafetera” foi a Copa América de 2001, a anfitriã levou o título ao ganhar do México, no Estádio El Campín (na capital, Bogotá), por 1 a 0 na final. Já o título mais importante ganho por clubes colombianos foi a Copa Libertadores da América. Fato que já ocorreu duas vezes: em 1989, com o Atlético Nacional, vencendo o Olímpia do Paraguai; e com o Once Caldas vencendo o Boca Juniors da Argentina, em 2004.A competição de futebol mais importante da América leva o nome de “Libertadores”, por ser uma homenagem aos responsáveis pela independência dos países latino americanos. Dentre estes “libertadores”, está o venezuelano Simón Bolívar (1783-1830), que foi importantíssimo para a independência da Colômbia e de outras nações da América hispânica.

A “CBF” dos colombianos é a Federación Colombiana de Fútbol, fundada em 1924, é filiada à FIFA e a CONMEBOL desde 1936. Ela é a entidade máxima do futebol colombiano, sendo responsável pelos torneios nacionais. O principal torneios na Colômbia é a Categoría Primera A (equivale ao Campeonato Brasileiro série A), os maiores vencedores são o Millonarios (equipe da capital) e América de Cáli, cada um com 13 títulos. Por falar em Cáli, é bom lembrar que a cidade possui um clássico de grande rivalidade entre Deportivo Cáli e América de Cáli.

Em suma, podemos afirmar que a Colômbia não é uma grande potência futebolística, entretanto, agora sabemos que ela possui alguns feitos memoráveis em sua história.

Sites consultados:
http://es.wikipedia.org/wiki/Selección_de_fútbol_de_Colombia
http://psalinstante.wordpress.com/2010/08/31/apodos-para-las-selecciones-que-integran-la-conmebol/
http://www.campeoesdofutebol.com.br/libertadores.html
http://educacao.uol.com.br/historia/america-independente-1-simon-bolivar-foi-personagem-principal.jhtm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Federación_Colombiana_de_Fútbol

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Jogos de videogame atuais e clássicos

Sem sombra de dúvidas, nós podemos afirmar: a tecnologia evoluiu muito e mudou bastante os nossos games. Hoje em dia, a realidade está tão próxima, mais tão próxima, que num olhar desatento podemos confundir uma imagem virtual com uma real. Daí perguntamos às vezes: isso (não) é real? lol

Bem, mas essa pergunta não vem à toa, tem fundamento, já que os movimentos dos personagens são cada vezes mais detalhados (inclusive pessoas de carne e osso gravam alguns movimentos.) Jogabilidade mais complexa (dribles, por exemplo). E os gráficos, idem. E o tamanho, espaço de memória dos antigos jogos em cartucho? Quantos gigabytes poderiam ter? Ou melhor: quantos megabytes ? Resposta: Muito (e bota muito nisso) menos espaço do que um DVD ou pior, um Blu-ray.

Jogos de futebol! Feitos nos anos 90! Vocês se lembram dos clássicos Super Star Soccer Deluxe (da empresa japonesa Konami) e FIFA (da estadunidense Electronic Arts)? Então, eram jogos bons, eu gostava dos dois ( bom, os melhores eram os da Konami.) Mas aí, se fôssemos comparar com o PES e o FIFA da atualidade... Covardia, ? Já que Konami e Electronic Arts (sobretudo essa última) têm se renovado a cada console, cada temporada. Enfim, as diferenças são nítidas!  No entanto, acho vale a pena destacar algumas! Por exemplo, como eram as "caras" dos jogadores nos games antigos ? , não havia ! Só a partir da geração Playstation 2 e Xbox se passou a ter faces. Aliás, antes até havia, mas todas as caras eram iguais como no Winning Eleven do PS1 ou não tinham mesmo como no Super Star Soccer do Super Nintendo.
(montagem doida que eu fiz)
Os Replays eram fraquíssimos, iguais aos das emissoras de tevê que não possuem direitos de transmissão do Brasileirão (como na CNT) e levam apenas uma câmera para o estádio. Tu fazia um gol e nunca via por outro ângulo. Acontecia isso, talvez, para não se aproximar muito do boneco sem rosto ou porque não dava mesmo (dããã, que argumento meu tsc tsc)

Ô, juiz filho da mãe! É... quem não perdia gols por causa dele !? Não havia bom senso, o tempo era aquele mesmo e ninguém poderia mudá-lo. Não importava se o jogador estava de cara a cara com o goleiro! Qualquer juiz fazia isso: o branco, o preto, o japonês, o cachorro...

, mas eu muito crítico! Aí, é claro que os jogos clássicos eram bons. O grande ícone dos games, Mario, não se tornou o que é por causa de jogos com ultra-gráficos, pelo contrário, começou na humildade no Super Mario Bros de 1985 (seu primeiro jogo de fato) e pra mim tem o seu auge em Super Mario World de 1991.
Ele até tem uma rua na Espanha (cidade de Zaragoza). Já pensou um espanhol falando onde mora assim : "Yo vivo en la ciudad de Zaragoza, (...) en la avenida de Super Mario Bros. Número...". Caraca !
E o famoso Mortal Kombat ? Que jogão ! Mas muitas versões moderninhas não chegaram nem perto dos clássicos de gráficos de 2D. Depois de Trilogy (última versão em 2D) vimos cada coisa... Armageddon (PS2) ? Sem fatalitys ? Ah, que vacilação ! (apesar de ter tido um ótimo modo story e o Mortor Kombat, boas novidades foram). Depois pra Xbox 360/Play 3 teve um jogo híbrido entre Mortal e Liga da Justiça. Não, não... Mortal por si só merece destaque, não precisa de "reforços".
Ainda bem que última versão desse jogo (abril/2011) deu uma fortalecida em suas raízes, com a jogabilidade 2D de volta e com fatalitys dignos de... Mortal Kombat.

Em suma, gostamos dos jogos velhos e novos, mas de modos diferentes. Bem, é isso. Viva os games ! Até próxima !

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A origem de "poleiro"

Desde de criança, pensava que essa palavra tinha relação com "pulo" (pronuncio "pulero"). Mas, só hoje, vejo que o vocábulo é oriundo de uma palavra em desuso no português: polo.

No dicionário Aurélio não há registro de "polo"(seu uso deve ter ocorrido há muito tempo). Já no dicionário etimológico da língua portuguesa de Antônio Geraldo da Cunha, está assim: "ave com menos de um ano de idade. Do lat. pullus"

Como falo espanhol, eu logo pensei em pollo ("frango"), seguindo os exemplos de belo, cebola e tantos outros vocábulos que possuem dois éles na língua espanhola.
Falando em espanhol, acabo me lembrando do famoso site da RAE ( Real Academia Española), que confirmou a minha dedução !

Lá, está deste modo:

Pollo

(Del lat. pullus).

1. m. Cría que nace de cada huevo de ave y en especial la de la gallina.

Mas vejam só, como é incrível o estudo da origem das palavras. Poleiro agora passa a fazer sentido. Polo, a "mãe", morre, mas sua "filha" ainda está bem viva.

Portanto, poleiro e galinheiro são, respectivamente, palavras que vêm de polo (antigo "frango") e galinha. Percebam só, frango e galinha são os mesmos animais. Mas só que o acréscimo do morfema -eiro produz palavras diferentes. Ou seja: a "cama" das aves (poleiro) e a "residência" delas (galinheiro)

Pior do que isso, só o tal cárcere/prisão e carcereiro/prisioneiro. Mas aí é outra história !
Até a próxima.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Livro: "Emprego de A a Z" de Max Gehringer (Resumo)

Bibliografia:

GEHRINGER, Max. Emprego de A a Z. São Paulo: Globo, 2008, p.171-223.

__

Deixo aqui claro, que o texto abaixo foi feito por Odinilson Ananias Bom de Lima (também conhecido como eu).





I de Idade

Hoje,‭ ‬o trabalhador tem maior vida útil,‭ ‬por isso,‭ ‬é bem comum vermos pessoas de‭ ‬50‭ ‬e‭ ‬60‭ ‬anos lutando pelo seu espaço no mercado de trabalho.‭ ‬Enquanto isso,‭ ‬as grandes empresas impõem uma idade-limite‭ (‬que beira os‭ ‬40‭ ‬anos‭) ‬às contratações.‭ ‬Ou seja,‭ ‬há um grande empecilho para os veteranos obterem uma vaga.‭ ‬Mas segundo Max Gehringer,‭ ‬usar a idade como‭ “‬muleta‭”‬ não leva‭ ‬a nada,‭ ‬e questiona,‭ ‬se é a‭ “‬velhice‭”‬ ou a desatualização,‭ ‬que de fato representa um obstáculo.‭ ‬Uma boa dica‭ (‬além de se atualizar‭) ‬é trocar as grandes empresas pelas pequenas,‭ ‬na da busca de um emprego.‭ ‬Pois‭ ‬nessas, os mais maduros possuem mais chances de entrar.‭ ‬Isso entre outros conselhos,‭ ‬como:‭ ‬trabalhar sendo consultor‭; ‬prestar serviço às ONGs‭; ‬concurso público‭ (‬muitos sem limite de idade‭); ‬buscar vagas via internet.‭ ‬Como já foi dito,‭ ‬há preconceitos à idade,‭ ‬algo que é considerado crime previsto por lei.‭ ‬Não obstante,‭ ‬a subjetividade torna complicada uma eficaz detecção.‭ ‬Os fatores que realçam essa má visão das grandes empresas podem ser:‭ n‬ão trabalhar em muitas ocasiões,‭ ‬devido à assistência médica em demasia‭; ‬vícios profissionais‭ (‬difícil adaptação‭); ‬menor‭ ‬vida útil‭ (‬um jovem teria um futuro laboral maior‭). ‬Contudo,‭ ‬deve-se dar ênfase também aos‭ ‬pontos positivos dos trabalhadores mais velhos:‭ ‬como maturidade e experiência.‭ ‬Desse modo,‭ ‬percebe-se que o profissional não possui apenas contras‭; ‬há também prós.‭ ‬Ser obsoleto não tem nada a ver com idade.‭ ‬Esta analogia entre uma‭ ‬Coca Cola‭ ‬e um celular‭ ‬tijolão,‭ ‬explica muito bem:‭ e‬sse refrigerante surgiu no século XIX,‭ ‬e o celular na década de‭ ‬1990.‭ ‬E eis que surge uma pergunta:‭ ‬Quem é obsoleto‭ ? ‬A resposta, como se pode perceber, é muito fácil.‭ Já f‬alando sobre os jovens,‭ ‬pode-se dizer que a situação não está nada fácil.‭ ‬Havendo as mesmas quantidades de vagas que havia há quase duas décadas.‭ ‬Mas tem um‭ “‬porém‭”‬,‭ ‬em comparação com o passado,‭ ‬observa-se que há um aumento de‭ ‬40%‭ ‬da população jovem.‭ ‬Com tanta dificuldade assim,‭ ‬há de se ter perseverança,‭ ‬uma virtude, que é bem diferente de teimosia.‭ ‬Por isso,‭ ‬há de se usar os erros como reflexão, mas caso sejam demasiados,‭ ‬deve-se repensar em determinadas escolhas.‭ ‬Também é de suma importância lembrar que nem tudo aquilo que se gosta,‭ ‬sucederá com êxito no mundo corporativo.‭ ‬O lazer com a pressão,‭ ‬os compromissos e as regras podem resultar numa atividade estressante.‭ ‬Agora,‭ ‬imaginemos que uma pessoa esteja trabalhando bem, e aí surge uma pergunta:‭ ‬ela pode ser demitida mesmo trabalhando bem‭ ? ‬A resposta, é‭ “‬sim‭”‬,‭ ‬e esse fenômeno‭ (‬ típico do século XXI‭) ‬é definido por Gehringer como‭ “‬Obsolência forçada‭”‬.‭ ‬Assim como um celular que faz ligações perfeitamente,‭ ‬mas é trocado por um moderno‭ ‬smartphone.‭ ‬As “funções extras” seriam pós-graduação,‭ ‬falar idiomas etc.,‭ ‬algo‭ ‬más allá‭ ‬de meras chamadas.



I de Intriga e Inveja

Todas as empresas possuem seus fofoqueiros,‭ ‬que fofocam em vários gêneros:‭ ‬do mexerico‭ (‬que não causa dano‭) ‬à intriga‭ (‬pesada e maldosa‭)‬.‭ ‬A inveja,‭ ‬paradoxalmente,‭ ‬é um elogio,‭ ‬tendo em vista que as pessoas não invejariam alguém,‭ ‬se esse não tivesse alguma virtude.‭ ‬A inveja é oriunda também da falta de liderança na empresa,‭ ‬na qual a avaliação de desempenho dos funcionários é má,‭ ‬além de os semeadores de intriga não serem postos no olho da rua.‭ ‬Mas eis uma boa dica para isolar o invejoso:‭ ‬ser um bom colega para todos.‭ ‬Desse modo,‭ ‬os males da inveja‭ (& ‬CIA‭) ‬serão amenizados. Entretanto, existem pessoas que creem que todos estão contra ela, e nesse caso, o problema está em si, e não nos outros funcionários.



J de‭ ‬Jovem

Antigamente ter faculdade era um fator diferencial,‭ ‬já hoje em dia, serve para não ficarmos desnivelados para a‭ ‬concorrência no mercado de trabalho.‭ ‬Gehrienger diz que para quem está em dúvida,‭ ‬escolher um curso genérico como administração é uma ótima alternativa e com o decorrer do tempo ir se especializando.‭ ‬Sobre‭ ‬currículo, o autor declara que muitas empresas não perdem mais de‭ ‬25‭ ‬segundos o avaliando.‭ ‬Na verdade muitos são cortados prontamente,‭ ‬por não atingirem requisitos,‭ ‬como:‭ ‬falar idiomas‭; ‬informática‭;‬ faculdade.‭ ‬Por falar em faculdade,‭ ‬Max Gehringer afirma que as‭ ‬instituições de nome levam vantagem sobre as demais.‭ ‬Sendo assim,‭ os ‬maus alunos‭ (‬por incrível que pareça)‭ ‬podem levar vantagem sobre os bons.‭ ‬Em realidade,‭ ‬as empresas perdem possíveis funcionários de qualidade nesses processos seletivos,‭ ‬pois demasiadas‭ ‬virtudes não são detectadas nos‭ ‬“25‭ ‬segundinhos‭”‬.‭ ‬Já sobre o uso de‭ ‬piercing ou de‭ ‬brinco,‭ ‬segundo o livro,‭ ‬as chances de conseguir um emprego caem pela metade.‭ ‬Além do mais,‭ ‬saber o perfil da futura empresa é fundamental.‭ ‬Geralmente funções que lidam com o público pessoalmente devem ser mais visadas por candidatos sem esses tipos de acessórios. ‬Já as funções que não lidam, tendem a ser mais liberais.‭ ‬Mas na duvida,‭ ‬é recomendável tirá-los.‭ ‬O autor também afirma que a leitura é de grande valor: educando, divertindo etc.,‭ ‬porém,‭ ‬as teorias devem se aliar à prática e ao‭ ‬equilíbrio:‭ ‬como,‭ ‬quando,‭ (‬não‭) ‬agir. O‭ ‬tempo e a experiência também‭ contribuirão‬ para um profissional mais estável no emocional e com uma sucessão de‭ ‬equívocos menor do que no passado.